terça-feira, 10 de março de 2015

Por que a minha fase sendo Ovo-Lacto-vegetariana não demorou muito?

Tem muito tempo que queria falar sobre esse assunto aqui no blog. Muitas pessoas me perguntam como eu consegui me tornar vegana tão rápido. E como consegui me adaptar a tudo de uma forma "fácil".

Pensamento n° 1
Em primeiro lugar, eu pesquisei sobre as indústrias do leite e dos ovos. Ao ver toda a barbaridade que acontece com as vacas e as galinhas, eu já tinha colocado na minha cabeça que ovolactovegetarianismo deveria ser apenas uma fase de transição, e não um ato que eu acharia que estava salvando o mundo. Então sempre que eu ouvia alguém falando sobre como ainda consumir ovos e leites prejudicava os animais, eu abaixava a cabeça. Sim, cada possui o seu tempo de adaptação, mas precisamos controlá-lo para não virar comodismo.
Isso parece normal para você? (Imagens retiradas do Google)











Pensamento n° 2
Eu tentava criar regras pra mim mesma, para evitar o consumo de leite e ovos por gostar. Porque assim como adorava picanha, peito de frango... eu também adorava queijos. Então eu evitava comer "porque é gostoso" e sim porque "putz, não tem nada, vai ter que ser queijo quente no café da manhã". E ia me adaptando pra conseguir tirar o sanduíche de queijo quente no café da manhã. Tem ovolactos que tem a opção de comer comida vegana, mas põe queijo, porque eu não sei. Se sabe de toda a atrocidade que é a indústria leiteira, porque não há mudança? Porque a pessoa não parece tentar? É ovolacto, mas compra mil tipos de queijo pra fazer receita. Gente, isso não faz o menor sentido.
Mesmo eu ainda consumindo produtos como ovos e leite eu não procurava na internet receitas "ovolactos". Eu procurava receitas veganas.

Pensamento n° 3
Não me preocupava com nutrientes que vinham do leite ou do ovo. Assim como não me preocupei com os nutrientes que vinham da carne. Basta uma pesquisa de 30 minutos na internet pra saber que tudo isso é um mito. Veganos não possuem deficiência de proteínas, de cálcio, de ferro.. ou outros nutrientes. A nossa única preocupação é a famosa B12 que precisa ser suplementada. E muitos ovolactos acreditam que o leite é uma grande fonte dela e por isso não param de tomar.
Aqui está as principais fontes de B12: bife de fígado, mariscos no vapor, ostras cozidas, fígado de frango cozido, coração cozido, arenque cozido, caranguejo cozido, truta cozida e salmão cozido.
Se você não consome mais esses alimentos citados, você já não ingere B12 a um bom tempo. Existem outros alimentos enriquecidos, mas não é o suficiente, você precisa suplementar!

Decisão
Eu finalmente me tornei vegana quando fui em um churrasco de família e comi apenas: arroz, batata frita, molho vinagrete, farofa de banana (que eu fiz pra mim) e salada de maionese. Nos reunimos na mesa para comer, meu pai tinha comprado queijo coalho pra mim, mas eu recusei. O constrangimento começou quando eles perguntaram sobre diversas coisas e falaram sobre alimentação. Ignoraram o meu debate sobre especismo e focaram na saúde. Eu tentei dizer então sobre saúde, mas também me ironizaram. E pra completar, minha mãe falou sobre a maionese que levava ovo. Quando terminei o almoço, peguei meu prato, fui pra casa (estava na vizinha), me tranquei no banheiro e comecei a chorar. Entre lágrimas decidi me tornar vegana pra não compactuar com a exploração animal de forma alguma. Percebi que já estava a 1 mês acomodada e não na fase de transição. Essa foi a melhor decisão da minha vida.

Por último dizer que isso não é para travar uma guerra, é para alertar sobre a exploração animal que muitos não veem. E que se precisarem do meu apoio para se tornarem vegans, o terão.

Links interessantes para pesquisa:
http://camaleao.org/artigos/ovos-o-que-voce-esta-realmente-comendo/
http://camaleao.org/artigos/sobre-o-ovolactovegetarianismo/