O café, e agora José?

Depois que a gente abraça o veganismo, comer arroz e feijão é o de menos!
O maior desafio de todos é o tenebroso: CAFÉ DA MANHÃ TCHAN TCHAN TCHAN TCHAAAAN!!!

É muito difícil imaginar o que vai sobrar pra comer na parte da manhã, já que a maioria das pessoas comem basicamente laticínios e embutidos no café. É queijo, mortadela, presunto, café com leite, nescau ou toddy... e por aí vai.
O que usar no pão se não a manteiga? O que pingar no café se não o leite?

A resposta é mais simples do que parece, não é só ter criatividade, é necessário abrir os olhos para a cultura imensa que existe no nosso país e no mundo.

Eu fui habituada a vida inteira a comer no café da manhã pão com manteiga. Aí se tivesse mais coisa, eu colocava uma mortadela, ou fazia um misto quente e pra beber era sempre nescau ou café com leite.
A tapioca, por exemplo, era algo totalmente fora da minha realidade. Eu simplesmente não conhecia esse produto até os meus 15 anos. Mesmo aqui no Rio de Janeiro, tendo diversas carrocinhas pela cidade vendendo tapioca, ainda assim, não conhecia esse ingrediente e mesmo depois de conhecer, não tive o hábito de inseri-lo na minha alimentação. Já mais no norte e nordeste do país, a tapioca está inserida na alimentação da população, é um ingrediente comum e de fácil acesso.
Aqui no Rio de Janeiro, a tapioca tem se popularizado muito mais, principalmente por ter se espalhado a notícia de que "Ohhh, a tapioca não tem glúten", de qualquer modo a questão que quero enfatizar não é a popularização da tapioca, mas sim o fato dela sempre ter existido e simplesmente não conhecíamos.
E não só sobre o não conhecimento de ingredientes, mas como o enxergamos de forma superficial.
Vou dar outro exemplo, o feijão é um grão tão, mas tão maravilhoso e a gente é culturalmente habituado a comer feijão simplesmente de uma forma.
Feijão preto com caldo pra comer com arroz, lentilha só se for salada, grão de bico só no natal e na salada e por aí vai..
Então quando vamos procurar receitas veganas e nos deparamos com "assado de lentilha" achamos a coisa mais bizarra e inusitada do mundo.
Ver norte-americanos usando feijão em sanduíches, chega a dar enjoo. A pergunta é: por quê?
Por que você se limita a apenas uma execução daquele determinado ingrediente? Feijão não só combina com arroz, feijão não se faz só daquela forma e por aí vai.

Então um conselho, pra se habituar a ter melhores cafés da manhã, o truque é para além da criatividade, não olhar os alimentos de uma forma linear. Conhecer outras culturas, com uma pesquisa simples na internet, pode ajudar muito a aguçar essa criatividade, que nada mais é, do que uma inovação do que já existe.

Aqui vai algumas dicas, do que eu como no café da manhã!


Quando tem pouca coisa em casa, esse é o meu café da manhã básico. Pão tostado na frigideira com um fio de azeite ou um fio de óleo vegetal (é pq gosto mt do coradinho da gordura, mas se não tiver azeite, dá pra fazer sem) e chá. Esse chá da foto é um chá branco, nunca tinha bebido e achei gostoso. Mas geralmente curto mais o chá de camomila ou mate. Quando não tem chá em casa, vou de café. Café bem forte e pão tostado na frigideira, nada mais!
As vezes como a mesma coisa de domingo a domingo. Quem manda na minha vida é o dinheiro


Eu amo comer mingau de fubá de milho no café da manhã!
É a minha segunda opção de emergência pra "estamos sem comida em casa".
Na verdade eu como ele até quando tem várias coisas pra comer no café, porque eu realmente amo mingau!
O mais legal é que pra fazer esse mingau você só precisa de fubá, água e açúcar. Quando tem leite de soja em pó ou leite de coco aqui em casa eu coloco no lugar da água. Mas geralmente é com água mesmo.
É só misturar o fubá no leite vegetal ou água fria, colocar açúcar e depois levar ao fogo até ferver. É importante dissolver o fubá na água fria antes de levar ao fogo, pra não empelotar.
Não tenho uma quantidade exata de fubá pra parte líquida, eu vou colocando no olho mesmo.

E como eu curto um mingau mais molinho, eu não deixo ele muito tempo no fogo. Assim que começa a borbulhar, eu já fico atenta pra não endurecer de mais, é só o tempo de cozinhar a farinha e pronto!



Sempre que dá dou aquela finalizada com canela em pó e já to firme e forte pra encarar o dia!





















De manhã, nem sempre é café e pão francês. Se você tem pais ou avós que vieram do interior, você conhece o hábito de comer raízes no café da manhã, aipim, batata doce, banana da terra, tudo cozidinho com amor!
É simplesmente a ideia mais genial, funcional e gostosa! Você se alimenta bem, fica bem preparado pra passar a manhã e o melhor, tudo é naturalmente vegano.
Nesse dia eu fui só de aipim com sal, tava tão cremoso que nem azeite coloquei. O segredo pra escolher um bom aipim é quando ele tá com a ponta cortada, e ela tá bem branquinha. Se o aipim não tiver cortado, peça pra alguém do sacolão cortar pra você! Cozinhei por uns 30 minutos na panela de pressão.





Aqui eu comecei um dia com uma tapioca!
Eu tava no mercado comprando os grãos do mês, e a tapioca tava em promoção, então eu comprei!
O recheio é de champinhom fresco refogado, e era na verdade a sobra do jantar do dia anterior.
Eu não tenho o hábito de comprar cogumelos sempre, porque são mais caros, mas eventualmente quando tem uma grana a mais no mês eu compro. Tem um sacolão perto de onde moro que vende a bandeja a R$16,00. Sei que tem lugar que a mesma bandeja custa R$6,00 mas não é o caso daqui, aliás, quem dera..
Pra beber, tomei o iogurte de soja sabor morango da linha Naturis, da Batavo. Vende no Prezunic aqui perto de casa, é o mesmo preço de outros iogurtes, ta na geladeira a mais de 1 mês, esse troço dura muito e eu nem sempre tomo.


























Esse café da manhã eu também adoro, é estilo lanchonete. Aliás, é o que eu peço na lanchonete quando não tem aparentemente nenhuma opção vegana. Pão com tomate, cebola, coentro e azeite prensado na frigideira! De novo foi com sobras do jantar. A cebola meio caramelizada que meu companheiro fez no dia anterior, a salada de tomate e o coentro que tinha na geladeira. Eu posso fazer esse mesmo sanduíche com outras coisas. Pode ser tomate, alface e cebola crua, feijão sem o caldo refogadinho com tomate, cebola e pimentão... e por aí vai. Tomei com um cafezinho!

Viu como é fácil tomar café? Não existem só aquelas opções de leites vegetais, embutidos caros e difíceis de achar.
Pra montar o café da manhã, lembre-se: pra beber as opções podem variar em sucos, refrescos, café, chás..
E pra comer é basicamente pão tostado puro ou com sobras do jantar, tapioca, mingau, batata doce cozida, banana da terra cozida... e por aí vai! Bora reforçar o café da manhã?